segunda-feira, 26 de setembro de 2016

SPOTS TO GO #1

Ceviches, Tacos & Tears

Chegou ao El Clandestino, na R. da Rosa, vinda do Cais do Sodré a pé onde tinha estacionado. Agora era sempre a subir até chegar ao restaurante. Sabia que era impossível  estacionar no Príncipe Real pela hora do jantar, ainda para mais numa quinta-feira. E, para variar, estava atrasada. Já lá deviam estar todas.

A cabeça a mil. As ideias bailavam entre o relatório de entrega de fecho que não tinha conseguido acabar, reuniões infindáveis o dia todo, o seguro do carro, devolver chamadas, tudo a correr, como sempre. E depois... Depois, a meio da tarde... a bomba.

Quando chegou parou um minuto à entrada impressionada com o painel de madeira gigante com casas coloridas amontoadas e iluminadas, à esquerda de quem entra. “Favela Vidigal”, feito à medida para o espaço, soube mais tarde. O restaurante parecia ser também uma galeria de arte e estava cheio! Nas mesas, umas altas com bancos, as pessoas conviviam animadamente, num ambiente descontraído. Os empregados passavam atarefados com pedidos e pratos coloridos com ceviches, tacos e muitos shots e margaritas. Parecia que dançavam ao som da musica, alta, a condizer com o espírito. Da entrada dá para espreitar a azáfama da cozinha, aberta ao público. Era daí que saiam as iguarias, numa mistura de opções mexicanas e peruanas, a nova tendência que parece que veio para ficar. Pelo menos ela achava que sim. No andar de cima, uma mezzanine também com mesas e ao fundo um pequeno pátio decorado com objectos de cores garridas fazendo alusão a um cemitério mexicano.

- Mariana! Estamos aqui. Que fazes aí parada?
- Desculpem o atraso! Estava difícil.

As conversas começavam a atropelar-se. Era sempre assim. Os temas variavam entre família, as novas conquistas dos filhos, fotos das últimas viagens feitas a dois, algumas novidades e muitos desabafos de chefias e colegas. Estes jantares, onde o tempo voava, apesar de não se realizarem com a frequência desejada, eram como que sagrados. Partilhavam-se desabafos, dúvidas, dilemas, experiências e boas energias! Sempre com grande dose de franqueza que a intimidade entre todas assim o permitia. 

A empregada, diligente, com um sorriso pronto, queria tirar os pedidos, mas percebeu que tinha de regressar mais tarde. Com tanta conversa ninguém viu os menus. O couvert já tinha sido devorado. Totopos (nachos fritos caseiros) com 3 molhos (4,50€). A guacamole estava ótima, fresca e com muito boa consistência.

Finalmente pediram. Tacos e ceviches para partilhar. O taco de leitão cozinhado a baixa temperatura (8.30€) foi o favorito. Todos muito bem recheados, alguns com opções picantes. Nos ceviches o Clandestino levou nota mais alta (9€). A empregada teve sempre o cuidado de dar explicação dos pratos, confecção e ingredientes à medida que surgiam as perguntas.

Acompanharam com margaritas. Foi difícil escolher entre 12 opções. A Triple Citrus (6€) com sabor a citrinos foi a mais votada. 

Os grupos de amigos, casais e alguns grupos estrangeiros continuavam a a encher a casa.

De repente, Mariana explodiu:

- O Tiago vai-se casar.
- Mas já? A sério? Ohhh Mariana...
- Nem sei que te dizer.... Como é que soubeste?
- Pelo Facebook. Há alguma coisa que não se saiba primeiro pelo Facebook hoje em dia?

Era verdade. Nenhuma soube com que argumentos contestar esta frase. 

- Como estás?

A velha pergunta de sempre. A velha resposta de sempre. Não sabia.
O silencio impôs-se na mesa. Todas sentiam que lhe custava ainda (e muito) falar sobre isso.
A Marta quebrou o silêncio. 

- Olhem a sobremesa.... Vamos escolher?!

Era melhor mudar de assunto, pelo menos para já.

La bomba de chocolate (chocolate em duas texturas com espuma de pimenta e malagueta e amendoim caramelizado) foi o favorito (5€). O Jardim de churros com doce de leite nada enjoativo e espuma de lima (5,50€) também não desiludiu e ficaram a saber que era o favorito dos clientes.

Mariana não dividiu sobremesa. Se havia motivo forte para furar quaisquer dietas era aquele.

Ficou a promessa de voltarem. E da próxima vez começariam com um shot, de entre 15 à escolha.


Mariana Reis

El Clandestino
Mexicano/Peruano
Rua da Rosa, 321 (Príncipe Real) Lisboa | 915 035 553
20€/pax. aproximadamente
Descanso semanal: Não tem
Das 18h30 às 02:00
Reserva recomendada
Aceita cartões



"O amor é tão importante como a comida. Mas não alimenta."
Gabriel García Márquez





quarta-feira, 21 de setembro de 2016

OUR DAYS - Um passeio pelo Tejo

Ao longo destes últimos meses tenho evitado falar da ida da mana para Londres. Consigo evitar falar mas não consigo deixar de pensar sobre a ida e de como vão ser os dias quando regressarmos de férias já sem a mana cá. Mas enquanto a nova realidade não chega, decidi aproveitar ao máximo o tempo em que ainda os temos por cá.

E foi assim que no sábado surgiu a ideia de ir andar de barco no Tejo, junto ao qual crescemos. Já passava das 19h quando telefonei para a Rio a Dentro a perguntar se ainda havia lugar para mais 9 passageiros (os 5 primos, nós as manas, o L. e a nossa mãe) no dia seguinte. 45 minutos depois de sairmos de casa, chegámos ao Escaroupim, onde o barco estava pronto à nossa espera. Foram 2h30 de passeio pelo verde das margens, passagem pelas várias ilhas, pela calma e tranquilidade do rio, a ouvir as explicações que o nosso simpático "comandante" nos ia dando.

Fomos com os cinco primos, o que à partida nos pareceu um desafio por causa dos mais pequeninos, mas correu muito bem :) A altura em que estavam a ficar mais irrequietos coincidiu com a primeira paragem para um mergulho. Foi a excitação... os mais crescidos saltaram sozinhos, o António e o Francisco foram ao colo. Eu não tomava banho de rio há pelo menos 25 anos e gostei imenso... a água estava transparente e mais quente do que no Algarve em Agosto! Esta paragem foi em frente a um espaço de areia reduzido com imensa vegetação como pano de fundo.

Da segunda vez descemos na Ilha dos Cavalos, que tem um areal extenso e areia branca. Os meninos aproveitaram para "explorar" a ilha e brincar na areia para além de mais um banho de rio. E claro que nós lhes fizemos companhia :)

Foram 2h30 muito bem passadas, sem fazer mais nada a não ser disfrutar do rio e da companhia uns dos outros. E quando avistei o ponto onde tínhamos começado, fiquei com vontade de continuar :)

Ficou a imensa vontade de voltar noutra altura do ano para descobrirmos animais diferentes e vermos toda a vegetação numa outra cor.

Mónica



Manel, Vasquinho e Afonso

O simpático "comandante" e Vasquinho


Afonso, eu e Manel


Avó Fá


Manel, Vasquinho e Afonso

Manel e Vasquinho


(Post escrito antes da partida da mana)

terça-feira, 20 de setembro de 2016

JÁ CÁ ESTAMOS

Quase dois meses depois de ter escrito aqui, consigo finalmente voltar a fazê-lo...

Porquê? Falta de tempo seria um motivo razoável tendo em conta tudo o que temos vivido, toda a mudança e adaptação associada. Mas, na verdade, acho que não é esse o principal motivo. Ainda é muito recente e ainda não tenho respostas para as perguntas que surgem constantemente. Claro que estamos bem, muito bem, mas os acontecimentos sucedem-se sem termos tempo para pensar sequer se está a ser bom, ou se temos saudades, ou se vamos fazer isto ou aquilo. 

Nesta fase os meninos ainda precisam de muita atenção e não consigo pensar em fazer outra coisa que não dar-lhes o que precisam - tempo! Pela avaliação que posso fazer, diria que estão os dois a gostar bastante. No entanto, o comportamento do Vasquinho alterou-se consideravelmente e ainda não estou a conseguir lidar com algumas situações que surgem. 

Temos passeado muito, conseguimos que os meninos tenham novas experiências, contacto com coisas diferentes das que estão habituados, até novos sabores e cheiros, novas culturas, novos horizontes. Uma experiência incrível para eles e também para nós. O D. chega cedo a casa e pela primeira vez, desde que somos pais, conseguimos ter tempo de qualidade em família.

À medida que for conseguindo vou contando mais sobre a mudança, sobre as férias (já por terras de sua majestade), sobre as novidades, sobre as novas receitas que vou conseguindo fazer, sobre as despedidas, sobre a casa, sobre a decoração e o "mestrado" que já temos - montar móveis IKEA ;)

Entretanto, vamos ter mais uma colunista residente com dicas muito interessantes :) muito em breve, aqui, no sítio do costume!

Ana


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

OUR NUTRITION GUIDE #8

Detox para a rentrée

Ansiamos todo o ano pelas benditas férias de verão, fazemos mil e um planos que incluem sempre caminhadas na praia, muita fruta e água.

O que acontece então? Passamos grande parte do tempo na toalha ou a brincar com as nossas crias (que elas sim correm muito, nós não!), caminhas zero e a fruta muitas vezes é substituída pela bola de Berlim ou pelo geladinho... Pois é....!

Qual a frase cliché no primeiro dia de trabalho? “Preciso de férias das férias!”
Estamos cansadas e sem energia, voltar ao ritmo custa. A primeira semana parece que tem 30 dias, as roupas e os sapatos parece que diminuíram de tamanho.

Já sabem que não sou adepta de radicalismos (estou sempre a repetir-me!), mas para mim, faz todo o sentido recuperar energias e “detoxicar” o corpo depois de muitos disparates que fazemos nas férias.
O meu plano detox 5 dias não é de emagrecimento. Aliás, é bom que se saiba que desintoxicar é fisiológico e todos nós o fazemos através dos nossos órgãos chave como o fígado, os rins e os intestinos. Este plano visa favorecer este processo natural, ajudando no funcionamento destes órgãos chave sem os sobrecarregar.

Pontos chaves para ter sucesso neste plano:

Abastecer o frigorífico de vitaminas e minerais: frutas e legumes frescos.

Fazer exercício físico todos os dias. Caminhadas de 30minutos em passo acelerado é o suficiente. Para rentabilizar o tempo (sem desculpas para quem não vai ao ginásio): se for de carro para o trabalho, estacione o mais longe possível (dentro de um limite aceitável) e vá a pé, se for de transportes, saia uma ou duas paragens antes; Em casa ou no trabalho, sempre que possível use as escadas em vez do elevador.

Beber água (1,5L)

É importante perceber quem são os maus da fita neste plano: alimentos processados, glúten, café, álcool, tabaco, açúcares refinados e gorduras saturadas.

Nunca saltar refeições

  

DIA 1
DIA 2
DIA 3
DIA 4
DIA 5
Pequeno Almoço
Sumo detox
Sumo detox
Sumo detox
Sumo detox
Sumo detox
Meio-Manhã
2 Gelatinas sem açúcar
Aveia noturna
2 tostas/bolachas de milho/arroz com manteiga de oleaginosas ou compota caseira/light + chá cavalinha
Panquecas de aveia/quinoa com banana
Flocos ou Granola (sem trigo) com iogurte vegetal ou bebida vegetal
Almoço

30 min antes: 200ml chá verde

Guacamole com palitos de vegetais
30 min antes: 200ml chá verde

Carne magra (aves ou parte do lombo) OU Peixe OU ovos OU Tofu cozinhados com pouca gordura (azeite) ou grelhados com vegetais frescos em salada ou legumes cozinhados
Meio-Tarde
Gelatina sem açúcar
Bolinhas energéticas cruas (3)
Chips de fruta desidratada
Bolinhas energéticas cruas (3)
Chips fruta desidratada
Lanche
Frutos secos oleaginosos + 1 cenoura
Fatias de maçã/pera com creme de frutos secos
Pudim de chia e fruta fresca
1 Batata-doce média assada (rodelas ou palitos)
1 taça pequena de pipocas caseiras
Jantar
30 min antes: 200ml chá de cavalinha e alcachofra

Sopa de legumes com topping de sementes tostadas
30 min antes: 200ml chá de cavalinha e alcachofra

Carne magra (aves ou parte do lombo) OU Peixe OU ovos OU Tofu cozinhados com pouca gordura (azeite) ou grelhados com vegetais frescos em salada ou legumes cozinhados
Ceia
Frutos oleaginosos
1 copo bebida vegetal ou iogurte vegetal
1 copo bebida vegetal ou iogurte vegetal
1 copo bebida vegetal ou iogurte vegetal
1 copo bebida vegetal ou iogurte vegetal


Lista Receitas:

Sumo detoxvejam aqui

Guacamole com palitos de legumes
1 abacate maduro
¼ cebola
½ dente de alho
1 tomate
Sumo de limão q.b.
Coentros q.b.
Cenoura em palitos
Pepino em palitos
Courgete em palitos

Triturar o abacate, juntar a cebola, alho e tomate em cubinhos, temperar com sal, sumo de limão e coentros.

Sopa de legumes com topping de sementes
Abóbora
Cenoura
Pimento
Cebola
Alho
Tomate
2 c. sopa de sementes variadas

Preparar os legumes
Colocá-los num tacho a ferver com água. Temperar com sal.
Quando estiverem cozidos, triturar até formar uma sopa homogénea e cremosa. Para fazer o topping, basta colocar diretamente na sopa 2 c.sopa de sementes variadas, ou tostá-las numa frigideira.

Aveia noturna – para preparar de véspera – vejam aqui
200 ml bebida vegetal a gosto
2 c. sopa de aveia
1 c. sopa de chia
Canela - opcional
Fruta fresca e/ou oleaginosa para colocar na hora – opcional

Num frasco colocar a bebida vegetal, adicional a aveia e a chia, adicionar canela ou outra especiaria a gosto. Mexer.
Tapar e deixar durante a noite.
No dia seguinte guarnecer com fruta fresca e fruta oleaginosa.


Bolinhas energéticasvejam aqui – bolinhas de cacau, amêndoa, coco e tâmaras

Pudim de chia
200ml bebida vegetal (usei leite de avelãs e arroz)
3/4 colheres de sopa de sementes de chia
1 colher de café de essência de baunilha
1/2 colher de café de gengibre em pó
Fruta fresca

Num frasco, colocar todos os ingredientes. Mexer e fechar.
Deixar repousar durante a noite. Na hora de comer, guarnecer com fruta.


Panquecas de aveia/quinoa com banana
1 banana madura
2 c. sopa de flocos de aveia/quinoa
2 claras de ovo (ou 1 ovo e 1 clara)

Triturar com um garfo a banana.
Bater os ovos.
Misturar todos os ingredientes.
Numa frigideira antiaderente, fazer as panquecas.

Pipocas caseiras
Em um recipiente alto que possa ir ao micro-ondas, coloquem 3 colheres (sopa) de milho para pipocas, 5 colheres (sopa) de água.  Misturem bem, tampe com filme plástico e façam furinhos para sair o vapor (use a pontinha de uma faca ou tesoura para isso). Levem ao micro-ondas em potência máxima até deixarem de ouvir as pipocas a estalar (sinal que já abriram todas).
Opcional – temperar com especiarias e/ou mel/agave.


Agora vocês... experimentem este plano e contem como foi! :)


Mónica Santo
Nutricionista

terça-feira, 23 de agosto de 2016

OUR FASHION TIPS #6

Curvas, avante


Uma das principais diretivas de como encontrar inspiração para escrever passa por abrir os sentidos a tudo o que se desenrola à nossa volta, especialmente nos sítios mais inesperados. Eis que nunca esperei encontrá-la ao ler a secção de comentários num post do Facebook, eis que nunca esperei encontrá-la ao ler comentários do mais retrogrado possível de bocas de pessoas que se intitulam do mais vanguardista do bairro.

A liberdade das mulheres foi alcançada a muito custo, e felizmente a nossa religião não nos prende como muitas fazem. Nós mulheres temos de nos unir, parem de nos deitar ao chão com estes comentários mesquinhos. Cada uma de nós é linda à sua maneira.

Tudo o que é pelo no meu corpo fica eriçado (e olhem que eu sou peluda, obrigada querido pai) quando leio que as meninas de corpos reboliços devem esconder os seus pneus na praia e que esta querida comentadora tapa os seus, intitulando que o ato de os mostrar provoca poluição visual. Ora bem, digo-lhe que triste deve ser o seu Verão e digo-lhe também outras palavras as quais são acompanhadas de bolinha vermelha (acabou-se-me a tinta da minha Bic).

Apetece-me então escrever sobre lingerie e de como qualquer mulher, do mais magra ao mais reboliça, pode sentir-se bem e sexy na sua pele. Deitem fora as regras da moda que ditam o que fica bem ou o que fica mal consoante o número de pneus que possuamos. Não suporto comentários de que só as ditas meninas modelos podem usar biquínis do mais cavado que há. Digo-vos isto sendo uma das meninas que muito orgulho tem dos seus pneus. Obrigada queridas pernas, aka presuntos madeirenses, por me permitirem explorar o mundo, e obrigada querida barriga, aka função seno (you engineers will get me!), por me fazeres lembrar do belo jantar que ofereci ao maridão este passado mês de Abril no restaurante Le Meurice em Paris (mais um item da bucket list riscado!).

E digo-vos isto também. Quando mostro as minhas curvas na praia não o faço para os olhares alheios, mas faço-o por mim porque quero e porque posso. Se não querem olhar não olhem, e se olham e não gostam do que vêem temos pena, olhem para o lado e guardem os vossos comentários para vós próprios. Sim, quero usar a mesma lingerie que a Sara Sampaio usa, temos pena. Volto a reforçar, porque quero e porque posso.

Ora bem, voltando ao tema lingerie. Nunca lhe liguei muito. Comprava aquelas cuecas que vêm em pacotes de trezentas de uma vez só, todas iguais em formato, mas de cores diferentes, e baratinhas como só elas. Mas com o passar da idade, e porque já não sou a única a olhar para a minha lingerie, iniciei a minha pesquisa por formas mais sexy, mas sem nunca descuidar a comodidade (minhas queridas cuecas da avó, não há nada que vos bata).

Divido a minha lingerie em duas secções, a do dia a dia em que a comodidade é essencial e aquela que é só para o maridão. Adoro as cuecas da Victoria’s Secret, mas em versão um pouco mais conservadora do que o nome indica. Adaptam-se para todo o tipo de roupa e pneus. Confesso que não gosto de ver as linhas das cuecas através da roupa (não tenho de olhar para quem as tenha, mas não me sinto confortável na minha pele quando isso acontece).

Passando para o tema dos soutiens, aí a historia é completamente diferente. Por azar dos azares (ou por sorte das sortes, depende da roupa e dos dias) tenho um peito pequeno por isso abuso dos soutiens de renda sem armações. Acho que ficam sexy quando soutiens pretos se notam debaixo de uma camisa branca de seda, ou mesmo quando os usamos com um top, quando pensamos que só um soutien caicai se adequa (nada lisonjeador para quem tem peito pequeno, by the way), existindo uns modelos lindos com umas costas super originais. E adoro o contraste de cores soutien vs roupa. Por que não usar um top de renda branco com um soutien preto sexy? Ou, por que não usar uma camisa de seda verde esmeralda com um soutien de renda azul cobalto? E por que não usar um bodysuit? Confesso que estou cada vez mais adepta dado o seu facilitismo de não ter que abrir totalmente os olhos de manhã à procura dumas cuecas que condigam minimamente com o soutien...

Divirtam-se a escolher lingerie, abusem da cor e usem o que quiserem, o que vos faz sentir bem e empowered para enfrentar o dia!




Objeto de desejo do mês
Botas Louis Vuitton


Trendsetter do mês
Maria (@pilotmaria)
Porque mesmo de farda influencia-nos no modo como encara a vida: always with a smile.


Tatiana Pina Mendes

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

OUR NUTRITION GUIDE #7

Nem só de manteiga vive o pão!
Alternativas saudáveis


Não sou radicalista, e por isso não vou já começar por dizer que a manteiga é um alimento mau e que deve ser banido da nossa alimentação.
Apresenta de facto algumas propriedades nutricionais que a tornam menos interessante: é rica em gordura saturada, que intimamente se relaciona a doenças cardíacas e colesterol mau.

Assim, apresento-vos algumas alternativas mais saudáveis a terem em conta na hora de barrar o vosso pão:

Azeite
Rica em gorduras monoinsaturadas e com propriedades anti-inflamatórias, o azeite poderá ser a alternativa número um à manteiga.

Simples ou temperado com alho ou ervas, escolha sempre azeite extra virgem e de baixa acidez.


Manteiga de frutos oleaginosos

Em termos nutricionais, são altamente calóricas, mas ricas em proteínas de origem vegetal, em gorduras mono e polinsaturadas, benéficas e importantes para a saúde cardiovascular. Apresentam ainda uma elevada quantidade de vitamina E, poderoso antioxidante.
O importante não é contar calorias, mas sim contar nutrientes.


Hummus

O Hummus tradicional é uma pasta de grão-de-bico, pasta de sésamo e especiarias. Sendo que atualmente existem variações à receita clássica substituindo ou acrescentando novos sabores de outros alimentos como, abacate, beterraba, pimentos.
A nível nutricional, esta alternativa é rica em proteínas de origem vegetal, fibras e cálcio.


Fruta

Uma alternativa às tradicionais compotas. Vantagem: consumo de fruta fresca recheada de vitaminas e minerais que pode ser adoçada com mel, agave, calda de açúcar de coco ou açúcar mascavado.


Mónica Santo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...