terça-feira, 31 de janeiro de 2017

O NOVO MUNDO DAS SÉRIES

Já não é novo para ninguém, só mesmo para mim ;)

Mais ou menos há uns 9 anos, até via algumas séries. Lembro-me que adorava ver com o D. o Dr. House, também via a Anatomia de Grey e pouco mais. Depois o nosso ritmo de vida deixou-nos pouco tempo para esses pequenos prazeres. Trabalhávamos muito e quando chegava à noite ainda tínhamos coisas para fazer ou então estávamos tão cansados que acabávamos por adormecer antes de conseguir ver o que quer que fosse.

A sensação que tenho do tempo em Portugal é igual à sensação que tive na primeira aula de Matemática Aplicada à Electrónica que tive no Técnico. O professor escrevia como se não houvesse amanhã, ao mesmo tempo que falava sobre outras coisas. Não conseguia ter tempo nem para copiar o que estava no quadro nem para ouvir o que dizia. Conclusão, uma hora desperdiçada. Depois tinha de ir para casa tentar perceber por mim. 
Havia tanto para fazer, tantas coisas para dar atenção, tantas pessoas a quem chegar, que o tempo parecia areia a escapar por entre os nossos dedos.

Aqui é tudo diferente. Há tempo para cada coisa. Há tempo para fazer as coisas com dedicação, sem ser a correr. Há tempo para me sentar a conversar com os meninos. Há tempo para uma história à noite. Há tempo para fazer as sobremesas que eles me pedem, mesmo que não haja ingredientes em casa, há tempo para os ir comprar. E há o nosso tempo, meu e do D., depois de deitarmos os meninos às 21h, podemos conversar só os dois, podemos ler, podemos escolher coisas novas para a casa, podemos ver televisão. E assim, as séries entraram novamente nos nossos dias.

Como não temos cá família, não podemos ir ao cinema ou ao teatro por exemplo, porque não temos com quem deixar os meninos, mas podemos aproveitar o nosso tempo em casa. Temos visto imensos filmes e agora mais recentemente, acordámos para as séries.

Começámos por ver uma que estava a passar na ITV, o Tutankhamun. Quando acabou fomos à procura de outra para ver (no Netflix) e optámos pelos Medici e adorámos! E fomos sempre vendo mais, mas sempre a mesma até chegar ao fim de todos os episódios e depois é que escolhemos outra. Vimos o The Crown, muito bem feito e muito bom para nos enquadrar um pouco na história do país no qual vivemos actualmente. Depois o Sherlock Holmes e ainda apanhámos a última temporada a passar na BBC. Muito bom, super rápido e exige muita atenção para não se perder nada em cada raciocínio, óptimo exercício para a nossa memória fotográfica. Entretanto vimos também o Mr. Selfridge. Escolhidas a dedo estas séries ;) mas é giro ver na televisão os sítios que agora são "nossos", que fazem parte dos nossos percursos diários, ou lugares que visitamos ao fim de semana. 

E, para variar um bocadinho, agora estamos a ver o House of Cards. Outro contexto, outro tema, ainda assim, viciante na mesma ;)

Isto dito assim, parece que não fazemos mais nada :) mas só vemos um episódio por dia, ou dois, quando não conseguimos esperar pelo dia seguinte para saber o que vai acontecer a seguir ;) 

Estes pequenos prazeres também nos alimentam a alma. Principalmente, ter tempo conjunto com o D.; podermos partilhar as mesmas experiências, sejam elas quais forem é sempre positivo.

Está na hora de ir deitar os meninos e ver mais um episódio :)

Ana








segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

SPOTS TO GO #4

Lavrar a terra, lavrar amizades

Chegou à Quinta do Arneiro no início da tarde, vinda da A8.
Um céu azulão, sem nuvens dava-lhe as boas-vindas e sabia mesmo bem depois de dias nublados com alguma chuva sentir o sol morno de Inverno no rosto. Aquecia a alma. Respirou bem fundo, enquanto fechava a porta do carro. Começou à procura dos óculos escuros na sua mala, que bem pode pesar uns 10 kg, mas que está cheia de todos os bens "essenciais" indispensáveis ao seu dia-a-dia.

Que boa ideia a Teresa ter combinado um lanche longe da cidade! A menos de uma hora de carro, a 40km de Lisboa, um local novo para conhecer e a promessa de uma tarde bem passada. Não poderia desejar melhor programa para o domingo. Quando a Teresa lhe ligou a combinar uns dias antes nem hesitou. Hoje são só as duas neste programa.

Teresa chegou pouco depois e juntas começaram a explorar a Quinta. Um largo muito amplo e arranjado com uma árvore enorme em destaque e um espaço protegido do sol com mesas banquinhos e sofás complementam a decoração rústica acolhendo os que chegam. As tabuletas pintadas à mão com indicações "Horta", "Pomar", "Restaurante" orientam as visitas. Alguns casais e famílias terminavam os seus almoços tardios de domingo conversando animadamente cá fora.

Luísa Almeida, alma e coração do projeto, veio ter com elas com um grande sorriso. Estava disposta a fazer uma visita guiada, quando quisessem, mas antes do sol ir embora, para conhecerem as produções e um pouco da história do espaço que passou para as mãos do seu pai em 1967 e explicar o porquê da agricultura biológica ser a maneira certa de fazer agricultura, sempre com um brilhozinho nos olhos.

Optaram por caminhar um pouco  sem rumo, à descoberta, e, depois, como a fome já apertava, decidiram entrar no restaurante para lanchar. A visita ficou alinhavada, mas com o grupo de amigas completo e almoço nas calmas incluído. Era só vir a Primavera!

O restaurante tem uma decoração muito cuidada em tons de branco e verde água e todas as mesas têm pequenas jarras com flores silvestres. No centro, uma mesa com vasos de plantas  e cabazes de legumes e verduras da época complementam a decoração com um enorme colorido. A cozinha aberta, com os seus azulejos verde esmeralda, atraem logo todos os olhares e de lá vêm as iguarias biológicas que a terra dá, respeitando os seus ciclos, daí o lema da Quinta "biológico com Amor".
 Um segundo piso com mesas é também local de workshops e alguns eventos de empresas.
Escolheram uma mesa longe da porta, já fazia algum frio.

-Mariana – interrompeu Teresa – queria falar contigo. Sinto que te devo um pedido de desculpas.
-A mim? – disse Mariana surpreendida, mas não tirando os olhos do telemóvel, querendo registar tudo em imagens, tirando fotos umas atrás das outras. – Este espaço está mesmo giro!
-Sim, depois do jantar no Miss Jappa, o nosso último jantar, mal falámos e eu não acho que tenha sido correta contigo, primeiro pregando-te um valente susto, depois dizendo para mudares o disco, para não pensares mais naquele que sabemos...
-Oh Teresa pára já por aí. Faz algum sentido pedires desculpas? Tiveste tu muita razão. Entre nós não há cá dessas coisas... Não é fácil em muitas coisas o dia-a-dia, mas agora avancei. Sabes Teresa, todos estes acontecimentos fizeram-me crescer imenso. Teresa debruçou-se como se a quisesse ouvir mais de perto, para melhor absorver as palavras.

A conversa foi interrompida. O lanche vinha aos poucos para a mesa: sumo de beterraba, chá de menta, um crumble de maçã de-li-ci-o-so, pão fresco, húmus, pasta de beterraba, azeite biológico e fruta fresca da época (12€).

- Fico tão contente por te ouvir falar assim.
- Às vezes é difícil. – continuou Mariana – Não me apetece estar com ninguém também neste momento. Sinceramente tantos planos por água abaixo que agora nem quero pensar em temas do coração. Agora America first!, ou melhor, Mariana first!
Riram-se ambas!

- Mas voltando atrás, não fui justa, acho que as minhas palavras te magoaram, não era a minha intenção. Quero ver-te bem. Sabes disso. Sobretudo quero que saibas que contas comigo, seja em que momento for.

Mariana quis mudar o tema de conversa, mas antes olharam uma para outra. Este olhar acompanhado do silêncio disse tudo. E o importante era o agora e aproveitar os momentos presentes. O que passou passou, lá em 2016, como se fosse um ano distante no passado de que nos lembramos vagamente de alguns episódios.
Teresa gostou de ver esta nova amiga e as boas energias!

O lanche estava delicioso, mas foi um bocadinho demorado. No entanto, concordaram que as pressas não faziam parte daquela tarde!
Foram as últimas a sair, já de noite. Antes de partirem espreitaram a mercearia e animaram-se a levar alguma fruta e uma compota de abóbora cada uma para experimentar. Quanto aos cabazes entregues em casa pela Quinta do Arneiro ficaram de investigar mais no website e na página do Facebook as condições e os preços.

Só mais tarde Mariana reparou numa chamada não atendida. Era o Luís, um amigo do irmão. Já não se viam há algum tempo. O que poderia ele querer? No dia seguinte logo pensava se ia devolver a chamada, isto se tivesse tempo. Melhor não. Não deveria ser nada de importante. Deveria era ser engano!


Mariana Reis




Quinta do Arneiro
Biológico / Vegetariano
Azueira 

2665-004 Mafra | 917 663 556

De segunda a sexta: 09:00 às 17:00
Mercearia de quarta-feira a domingo das 09:00 às 18:00
Presença em Mercados Biológicos em Lisboa e Cascais
Almoços e lanches de quarta-feira a domingo
Aceita reservas
Aceita cartões


"Não há boa terra sem bom lavrador"


Provérbio popular 







quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

À PROCURA DO PUFF IDEAL

Estamos a completar a casa de cá aos bocadinhos. Já temos o principal e o que é essencial para vivermos cá. Mas uma casa é mais do que isso ;) Há sempre qualquer coisa que falta ou um pormenor para compor um espaço.

Ainda nos faltam tapetes, quadros, prateleiras e mais algumas coisas. Mas a dúvida actual é na escolha de dois puffs para a sala. Apesar de não passarmos muito tempo os quatro a ver televisão, às vezes vemos um filme em família ou procuramos histórias em português no YouTube para que os meninos não se esqueçam da nossa língua e das nossas tradições. A sala não é muito grande e por isso temos apenas um sofá, que dá para todos sentados direitinhos ;) o problema é que os meninos nunca estão quietos nem direitos! Então lembramo-nos de ter uns banquinhos para eles.

Vimos uns giríssimos na Zara Home. Também achámos piada às cadeiras de baloiço do IKEA ou até a um repousa pés. Mas, rapidamente desiste da ideia de bancos ou cadeiras porque, para além de ocuparem mais espaço, implica também que eles estejam quietos lá sentados!

Começámos então à procura de puffs. Vimos imensos tamanhos, formas e cores diferentes e, por incrível que pareça, nenhum me cativou particularmente. Gostei de um da Loaf e também de um da Swoon, mas nem um nem outro havia nos tons que eu queria.

Deixei o assunto pendente, até hoje :) estive a arrumar alguns livros e cruzei-me com um muito antigo, que era da minha mãe, da Laura Ashley. Uma pérola! Ensina a fazer tudo o que é preciso para decorar uma casa. O máximo!

Bom, já estão a adivinhar... Decidi fazer eu! Porque quando temos uma ideia muito definida daquilo que queremos e não encontramos no mercado, é difícil abandonarmos essa mesma ideia por outra que esteja à venda, parece que não era bem aquilo...

Agora só falta, escolher o tecido e pôr mãos à obra ;)

Ana

 ZARA HOME
 IKEA
 LOAF

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

A FESTA DO PANDA

Reparei que ainda nem vos mostrei a festa que preparámos para o Vasquinho.

Podem ver o mood board aqui e a ideia que tinha para a festa dos 6 anos.

Os tons da festa foram o preto e o branco, uma vez que era a festa do Panda. Ainda pensei misturar um pouco de verde, mas rapidamente desisti dessa ideia ;)

Tive bastante tempo para preparar o que tinha idealizado. A maior parte dos materiais encomendámos na Amazon e foram chegando, quase diariamente. Os meninos estavam super entusiasmados e quiseram também ajudar :)

Mais uma vez, só fiz a montagem na véspera, à noite, para ter o efeito surpresa no outro dia de manhã quando os meninos acordam. É tão giro ver as caras espantadas, a alegria e a ansiedade de ir mexer em tudo! Bom, na realidade acho que bastava haver balões e eles já deliravam ;)

Como já tinha dito antes, tentei fazer algumas especialidades portuguesas para que os convidados de outros países pudessem ficar a conhecer. Correu muito bem. Consegui fazer tudo o que tinha pensado fazer (normalmente faço uma lista enorme de coisas e ficam sempre metade por fazer). Até o bolo de aniversário correu bem ;) não é a minha especialidade e estava com medo que não ficasse bem, ainda por cima seria a estrela principal da festa. Não ficou perfeito e tive de disfarçar o remate da pasta de açúcar com uma fita, mas em geral cumpriu os requisitos!

Correu tudo tão bem que até parece mentira. O Vasquinho adorou, teve cá em casa muitos amigos para brincar e também recebeu muitas chamadas de Portugal, até presentes chegaram por correio ;) Estava tão feliz o nosso filhote :) E nós também, claro!

Agora já estou a pensar no tema da festa dos 3 anos do António ;)

Ana

PREPARATIVOS




A MESA





O BOLO

O MENINO DA FESTA

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

ZANGUEI-ME COM O NATAL

Se calhar já é um bocadinho tarde para falar do Natal... Ainda assim, aqui vai.

Com partida marcada para dia 16 de Dezembro, estava convencida que teríamos todo o tempo para estar com família e amigos, ficando ainda com algum tempo disponível para tratar de alguma coisa que fosse necessária, como cancelar seguros e ir a médicos.

Preparámos cá o nosso Natal, o primeiro neste país. Comprámos um pinheiro natural aqui mesmo, no mercado de Portobello Road, fomos escolher decorações à Liberty e fizemos o resto em casa, com os meninos, que adoram pôr as mãos na "massa". 

Esperava ter um misto de sentimentos, entre a alegria e as saudades. Não tive. Só alegria. Entusiasmo para tornar mágico o primeiro Natal dos meninos cá. Não havia espaço para as saudades e, dentro de pouco tempo, estaríamos todos em Portugal outra vez. 

Chegou o dia de irmos. A ansiedade do Vasquinho crescia a cada instante, acho que só acalmou depois de chegarmos a casa da Avó Li, muito tempo depois uma vez que a avó mora na Beira Baixa.

Alguns dias depois fomos para a Avó Fá, no Ribatejo. Fizemos algumas viagens a Lisboa para visitar amigos e mais família. O Vasquinho foi à Dra. Filipa arrancar o primeiro dente, o D. e eu também tratámos de alguns assuntos pendentes. Chegou o dia 24, que foi celebrado com a minha família e logo depois o 25 celebrado com a família do D.. Fizemos as malas e regressamos dia 26.

Aprendemos com os erros... Não tivemos tempo para estar realmente com as pessoas. Estas alturas de festa, as famílias e amigos reúnem-se e acabamos por estar com todos mas sem dar a devida atenção a cada um. Fizemos muitos, muitos quilómetros. Já nem sabíamos explicar aos meninos porque é que tínhamos de andar sempre a saltar de casa em casa. Acho que eu própria não tinha resposta.

Fizemos presentes giríssimos para as professoras do Vasquinho, mas não sei porquê, não chegaram a receber... Fiz embrulhos com cartões recortados por nós e escritos pelos meninos, chegaram a Portugal todos amachucados. Alguns até tive de os desfazer e tirar caixas para caber na mala. Alguns dos presentes que recebemos em Portugal tiveram de ficar para trás. Enfim...

Chegámos a Londres exaustos, mas mesmo... Claro que os dias que passámos em Portugal foram de alegria, mas exigiu muito de nós e a sensação que fica é que não conseguimos chegar a todos.

Este ano zanguei-me com o Natal. 

Espero conseguir fazer as pazes no próximo!

Ana  

 Natal em Portugal

 Natal em Portugal

 A preparar os presentes

 Decorações feitas por nós para a árvore de Natal

 A nossa árvore

Presentes para as professoras

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

DOS NOSSOS DIAS

Os dias são frios lá fora, calmos e ternos cá dentro.

Mudámos os horários: almoçamos antes do meio dia e jantamos às 19h. 

Não há pressa. O tempo é real.

Todas as escolhas e decisões têm o mesmo propósito - a felicidade deles.

Eles são a prioridade.

Acordamos todos mais ou menos ao mesmo tempo. Tomamos o pequeno almoço juntos, sentados à mesa. Vamos a pé para a escola, o pai vai de bicicleta para o trabalho.

Conversamos bastante, brincamos, rimos. Conheço cada olhar: o brilho nos olhos ou quando os escondem. 

Estou aqui, estou sempre aqui com e para eles. Cada alegria, cada desilusão, cada nova fase, cada queda, cada "tenta outra vez", cada sucesso, tudo é partilhado. Somos uma equipa.

Sou Mãe.

"Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus: Dizem-me que serei enviado à terra amanhã... Como eu vou viver lá, sendo assim pequeno e indefeso? 
E Deus disse: Entre muitos anjos, eu escolhi um especial para ti. Estará à tua espera e tomará conta de ti. 
Mas diz-me, aqui no céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz... serei feliz lá?
Deus: O teu anjo cantará para ti... a cada dia a cada instante, tu sentirás o amor do teu anjo e serás feliz.
Criança: Como poderei entender quando falarem comigo, se eu não conheço a língua que as pessoas falam?
Deus: Com muita paciência e carinho, o teu anjo ensinar-te-á a falar.
Criança: E o que farei quando eu quiser falar-Te?
Deus: O teu anjo juntará as tuas mãos e ensinar-te-á a rezar.
Criança: Eu ouvi que na terra há homens maus. Quem me protegerá?
Deus: O teu anjo defender-te-á mesmo que signifique arriscar a própria vida.
Criança: Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais!
Deus: O teu anjo irá sempre falar-te de Mim, ensinar-te-á a maneira de vir a Mim e Eu estarei sempre dentro de ti.
Neste momento havia paz no céu, mas as vozes da terra já podiam ser ouvidas...
A criança, apressada, pediu suavemente: Oh Deus, se eu estiver a ponto de ir agora, diz-me por favor, o nome do meu anjo.
E Deus respondeu: " Chamarás o teu anjo de Mãe!"


Ana



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

OUR FASHION TIPS #10

Mais um post sobre resoluções de Ano Novo…
Fora com o velho

Uma das minhas resoluções de Ano Novo é (rufar de tambores): limpar/organizar o roupeiro (ou o vestuário como se diz na minha terra!). Nada de novo, nada de especial. Contudo, grandemente necessário. E até agora, uma das poucas resoluções que pensei neste novo ano. Estamos a 16 de Janeiro e ainda não me sentei propriamente para as escrever. Talvez porque todos os anos chegamos a meio de Fevereiro e continua tudo na mesma. Acho que isto também acontece no dia 31 de Dezembro! Mas este ano as coisas vão ser diferentes. Preciso de ser mais realista com os meus objetivos. Mas estes têm sempre de me fazer suar e de criar borboletas no estômago senão não vale a pena.

As minhas expectativas para 2017 são grandes (é melhor que estejas preparado para mim) e o meu roupeiro tem de ir a jogo também. Desde que decidi me tornar uma worker from home que necessito de equiparar o meu novo estado financeiro com as etiquetas do meu guarda-roupa. Nada de errado com isto já que piamente acredito em possuir menos e de melhor qualidade (especialmente verdade para nos Balanças que possuem um pequenino problema em tomar decisões e a quantidade não ajuda nada).

Começamos então por atacar o roupeiro e deitar tudo cá para fora. Fazer três pilhas de roupa: as que ficam (selo de aprovação para voltar para o roupeiro), as que são para dar (oferecer roupa de boa qualidade é sempre obrigatório para mim e a organização do Cancer Research é sempre a minha escolha) e as que são para reciclar (temos sempre aquelas peças de roupa que precisam de um pequeno retoque de costura ou de uma makeover, que ficam ad eternum na parte de trás de uma gaveta esquecida; e.g. adicionar patches a umas calças de ganga mais antigas irá elevá-las até ao fashion heaven).

Depois desta tarefa fastidiosa (estamos a meio caminho meninas, é quase hora para um copo de vinho; vai valer a pena todo este esforço!), precisamos de atacar os básicos e avaliar se as nossas peças e roupa são versáteis, de boa qualidade e se ainda nos servem (contra mim falo já que possuo um par de calças de ganga, OK talvez três, que já não me passam das ancas depois da javardice que foi o Natal, ou se calhar os últimos seis meses do ano passado; não me levem a mal, não quero perder as minhas curvas, só quero é que elas se encaixem orgulhosamente nos meus jeans que já não há orçamento para mais).

Sendo eu engenheira (a Ana vai me compreender perfeitamente), fiz uma lista daquilo que considero que são os básicos do básicos e que nos irão ajudar quando de manhã estamos a decidir o que fica melhor no nosso rabo e o que nos irá fazer dizer "Eh lá, gaja boa!" quando nos olhamos ao espelho no elevador (não faço isto, de todo…).

Espero que gostem dos meus bullet points. Não se esqueçam que estamos ainda em época de saldos sendo sempre esta uma boa altura para investir em peças de boa qualidade. E se possuírem peças de roupa que achem que são de boa-qualidade-mas-já-não-gosto-mais-mas-acho-que-ainda-vale-alguma-coisa, tentem sempre vender em plataformas online como a Vestiaire Collective e usem esse orçamento extra para comprar outros itens mais versáteis para o vosso guarda-roupa. O vosso roupeiro agradece.

Que 2017 seja um ano abençoado para todos nós.

Que ele nos traga amor, saúde, bom vinho e boa comida. E muitas gargalhadas!


Um 2017 em grande!

As minhas pecas de roupa básicas. Eu sei que é ainda uma longa lista, mas é algo que obviamente será construído ao longo de 2017. E depois de adquirirem estes básicos já não precisam de mai nada exceto acessórios cool, edgy e coloridos para que possam incorporar a vossa marca pessoal no vosso guarda-roupa. Divirtam-se nos corredores da Zara. Provavelmente irão encontrar-me por lá.


  Camisa branca clássica
·         Camisola de boa qualidade
·         T-shirt branca básica
·         Camisola às riscas
·         Sweatshirt preta/cinza para modo fim de semana
·         Camisola de gola alta preta/cinza/camel
·         Glam top para uma noite de copos
·         Calças pretas clássicas
·         Calças de ganga em denim escuro
·         Boyfriend jeans para modo fim de smenaa
·         Saia midi preta/navy/cinza escura
·         Vestido preto
·         Biker em pele preto
·         Trench coat
·         Casaco de boa qualidade
·         Blazer preto/navy casual
·         Ankle boots pretas
·         Ténis (entrem em modo crazy com eles, mostrem a vossa personalidade)
·         Bailarinas (um print animal é sempre uma opção versátil)
·      Sandálias kick-ass para uma noite de copos (é melhor levar uma outra opção para quando os copos já são muitos)
·       Mala + tote da guerra (preciso de diminuir a quantidade de porcaria que anda na mala comigo para todo o lado e para tal uma mala cross body é ideal. E quando o portátil tem de vir atrás adiciono o tote ao ensemble e tcharam: kit mãos livres. A isto agradeço ao meu lindo e teimoso puppy.

Tatiana Pina Mendes


-----------------------------------

Yet another post on New Year’s resolutions…
Out with the old

One of my New Year’s resolutions is (drum roll): cleaning out the wardrobe. Nothing new, nothing exciting. However, truly needed. And so far, one of the few resolutions I have thought about, this new year. It’s the 16th of January and I haven’t sat down properly to write them all down. Maybe because mid-February I haven’t done anything about them. As in the 31st of December! But this year things will be different. Need to be more realistic with my goals but I still need to reach for the stars or else it won’t be worth it.

I have great expectations from 2017 (you better be ready for me) and my wardrobe needs to go to game with it. Since becoming a worker from home that I need to match my financial status with my clothes’ tags. Nothing wrong with that as I do think that having less and in higher quantity is always a must (mainly for us Libra who have a bit of an issue when it comes to decide and quantity does not help at all).

Start by taking everything out and have three piles: to stay (good to go back to wardrobe again), to give away (offering clothes in good condition is always a must for me and the Cancer Research organisation is always my option) and to recycle (we always have some items that need a bit of stitching or a makeover that stay ad aeternum at the back of a forgotten drawer, i.e. adding patches to some old jeans will lift these up into fashion heaven).

After this gruelling task (halfway there now, almost time for a glass of wine; I am here for you girl, this will be totally worth it), we need to go through the basics and check if our items on the wardrobe are versatile, in good quality and that they still fit us (against me I speak as I still have an old pair of jeans, OK maybe three, that do not go up from my hips since I ate like crazy at Christmas, and probably half of last year as well; don’t get me wrong, I don’t want to lose my curves, I just my curves to go proudly inside my jeans as I do not have a budget for more).

Being an engineer (Ana will understand me on this), I have made a list of what I consider to be the basics of the basics and that will help you in the morning when deciding what looks best on your ass and that will make you go “Hey girl, your junk in da trunk still got game!” when you look in the elevator’s lift (I do not do this, at all…).

Enjoy my precious bullet points. Don’t forget this is sale season so always a good time to invest in good quality items. And if you have an item that is good-quality-do-not-like-it-anymore-maybe-worth-a-bit-of-money, you can always try and sell these at platforms such as Vestiaire Collective and then use the savings to buy other items that will be more useful to you. Your wardrobe thanks you.
May 2017 be a year full of blessings for all of us.

May it bring love, good health, good wine and good food. And lots of laughter!

Happy New Year!


My wardrobe go-to basics. I know it’s a long list but this something that I will obviously work through 2017. And after these you won’t need anything else apart from some crazy, edgy and cool accessories to incorporate your personal brand onto your wardrobe. Have fun going through Zara’s aisles. You will probably find me there!

·         Classic white shirt
·         Good quality sweater
·         Plain white t-shirt
·         Stripped shirt
·         Black/grey hoodie for weekend mode
·         Black/grey/camel turtle neck
·         Glam top for a night out
·         Classic black trousers
·         Smart dark denim jeans
·         Boyfriend jeans for weekend mode
·         Black/Navy blue/Dark grey midi-skirt
·         Black dress
·         Black leather biker
·         Smart black/navy blue blazer
·         Trench coat
·         Good quality coat
·         Black ankle boot
·         Trainers (go crazy with these, show off your personality)
·         Ballet flats (an animal print is always a versatile option)
·         Kick-ass sandals for a night out (do bring some trainers for the aftermath, trust me)
·         War bag & tote (I need to cut back on all the crap I carry around with me so for me having a medium cross body bag is a must. And I can add a tote bag when I need to carry my laptop around. Ta-da: hands free mode. For this I need to thank my dear, stubborn puppy).








quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

OUR NUTRITION GUIDE #12

Bebidas vegetais: a alternativa "in" ao leite de vaca

De soja, arroz, aveia, espelta, millet, quinoa, amêndoa, linhaça, côco,... entre outros!

Hoje em dia as alternativas vegetais ao leite são cada vez mais, e na minha opinião o único senão que têm é mesmo o preço, já que estão carregados de vantagens nutricionais, e cada vez mais a teoria do "leite é um alimento completo" cai por terra!

O leite de vaca está entre os alimentos mais consumidos, mas o que muita gente não sabe é que a reação às suas proteínas pode provocar a intolerância à lactose, até mesmo em pequena escala. Diarréia, dores abdominais, cólicas, refluxo, reações alérgicas na pele e até mesmo dificuldade em perder peso são alguns dos sintomas da alergia. Por mais pequena que seja, qualquer reação à proteína do leite pode dificultar a absorção de nutrientes e a digestão.

As bebidas vegetais podem ser uma ótima opção alimentar para quem decide diminuir o consumo de leite animal ou mesmo retirá-lo do seu diário alimentar. E se a sua preocupação é vir a sofrer por falta de nutrientes, pelo contrário, poderá ganhar em fibras, minerais e saúde.

As qualidades nutricionais são inquestionáveis. Os grãos em geral (arroz, aveia, millet...etc) contêm zinco, fundamental para as defesas do organismo, fibras que regularizam o transito intestinal e que atuam no controle do colesterol. As sementes e frutos secos (linhaça, abóbora, amêndoa, entre outras) destacam-se por serem fontes de proteínas vegetais e pelo conteúdo de gorduras mono e poli-insaturadas, conhecidas como "gorduras boas".

Completando, possuem uma rápida absorção de nutrientes e função antioxidante, que proporcionam a sensação de saciedade e energia ao corpo.
Uma maneira de obter estas bebidas por um preço mais razoável é pesquisar receitas e ir testado em casa até acertar no sabor. Estas bebidas vegetais podem ser bebidas puras ou adoçadas com melaço, açúcar mascavo, etc.


Experimente, a sua saúde agradece!

Nutricionista M. Carolina Santo


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...